sábado 16 de dezembro




Ivana Arruda Leite

Ivana Arruda Leite
 
Ivana Arruda Leite nasceu em 1951, em Araçatuba (SP); é mestre em Sociologia pela Universidade de São Paulo. Publicou livros de contos, uma novela, romances. É também autora de livros infantis e juvenis e de inúmeras adaptações de clássicos infantis.
 
 
Foto da autora: Edson Kumasaka

Blog da autora em: https://doidivana.wordpress.com

 
 
Sobre Contos reunidos
 
"O humor desconstrói o drama e altera qualquer relação de poder. Nos contos de Ivana, a autoironia que as vozes femininas dominam se transforma em arma poderosa."
Beatriz Resende
 
 
Sobre Cachorros
 
"Os homens são mesmo uns cachorros, mas não custa sonhar com algum quase príncipe encantado. Caso não venha, serve mesmo o sapo."
Beatriz Resende
 
 
Sobre Hotel Novo Mundo
 
"Ivana Arruda Leite fez um relato ao mesmo tempo duro e singelo sobre a redescoberta de como "a vida pode ser simples", de como comportamentos "desviantes" se incorporam à banalidade sem ambição -e de como o próprio romance (que já foi o mais corrosivo gênero literário) pode extrair beleza da banalidade."
Manuel da Costa Pinto
 
"Hotel Novo Mundo é o primeiro romance de Ivana Arruda Leite, autora destacada de livros de contos como Falo de mulher (Ateliê) e Ao homem que não me quis (Agir). Seu estilo cheio de orações curtas, frases de impacto, inversão de expectativas, títulos bem sacados e muita ironia prevalece nas narrativas curtas e mínimas, em especial em temas caros às mulheres e seus múltiplos relacionamentos. Em seu romance ainda há muito de tudo disso, mas o gênero tem seus desafios próprios. E Ivana Arruda Leite resolveu encará-los."
Virgínia Maria Vasconcelos Leal
 
 
Sobre Alameda Santos
 
"Ivana Arruda Leite não cabe no escaninho redutor da 'literatura feminina'.
As narrativas, embora quase sempre protagonizadas por mulheres, recusam o registro delicado e sentimental, nada têm da névoa cor-de-rosa que paira sobre a chamada 'chick lit'. Os livros trazem uma figura feminina emancipada, livre, dona de si. Sexo frágil, sim, mas que não foge à luta."
Marcelo Moutinho
 
 
Em Falo de Mulher, Ivana Arruda Leite lança o olhar para o cotidiano amoroso de mulheres.
 
(...) "O chato é que é capaz de acharem por aí que Ivana faz literatura de mulher, feminina, feminista etc. Porque numa linha de produção, mesmo que não seja em série, tem gente que se ocupa de colar o rótulo, e passa a vida tendo que atribuir lugar, dar lugar, estruturar lugar senão é capaz, essa gente, de endoidar de vez."
Manoel Ricardo de Lima
 
 
Sobre Ao homem que não me quis
 
"Leitura deprê? Nem pensar. Nos quinze minicontos — pequenos achados literários de um ou dois parágrafos — e três contos do novo livro, todos esses fracassos amorosos não derrubam as personagens diretamente na lama. Elas podem até cair, mas não sem antes cravar duas ou três observações que provocam risos no leitor.”
Mànya Millen
 
 
Sobre Eu te darei o céu: e outras promessas dos anos 60
 
“Quando eu saio por aí dizendo que a Ivana Arruda Leite é o Proust da minha geração todo mundo replica: você diz isso porque é amigo da Ivana. Há uma variante: você diz isso porque não leu Proust. Eu respondo na lata: digo isso porque li me babando todo de prazer e emoções docemente regressivas essa dádiva colírica que é Eu te darei o céu (editora 34, recém-lançado), que todos os proprietários de uma coleção de cinco décadas de vida, como eu, bem como todos que almejam possuí-la um dia, não podem deixar de ler imediatamente. Antes do Proust até”. 
Reinaldo Moraes

 
 
OBRAS
 
Contos & Crônicas
Histórias da mulher do fim do século - 1997, Hacker
Falo de mulher (96 páginas) - 2002, Ateliê editorial
Ao homem que não me quis (88 páginas) - 2005, Agir, 2005
Contos reunidos (Histórias da mulher do fim do século, Falo de mulher, Ao homem que não me quis) - 276 páginas, 2014, Demônio negro
Cachorros (88 páginas) - 2014, Demônio negro
Vidas passadas - 2014, E-galáxia
2014 - Contos Reunidos2014- Cachorros
 
 
Romances
Hotel Novo Mundo (128 páginas) - 2009, 34
Alameda Santos (160 páginas) - 2010, Iluminuras
Breve passeio pela história do homem - 2017, Editora Reformatório
2009 - Hotel Novo Mundo2010- Alameda Santos2017- Breve passeio pela história do homem
 
 
Novela
Eu te darei o céu: e outras promessas dos anos 60 (120 páginas) - 2004, 34
2004 - Eu te darei o céu: e outras promessas dos anos 60
 
 
Juvenil
Confidencial: anotações secretas de uma adolescente (96 páginas) - 2003, 34
Elas: novela a partir de ilustrações de Leda Catunda + novela de João Anzanello Carrascoza (128 páginas) - 2004, Callis
Amizade improvável: uma aventura urbana. Novela escrita com Índigo e Maria José Silveira (152 páginas) - 2004, Ática
Uma turma inesquecível - 2008, Escala
Vestibulandos: Histórias Tragicômicas (64 págs.) / il. Mauricio Pierro – 2015, Edições SM
2003 - Confidencial: anotações secretas de uma adolescente2015 - Vestibulandos
 
 
Infantil
Diomira e o coronel Carrerão (48 páginas) - 2010, Brinque Book
Diomira, a Sherazade do sertão, coronel Carrerão e Lucinha (48 páginas) - 2011, Brinque Book
2010 - Diomira e o coronel Carrerão2011 - Diomira, a Sherazade do sertão, coronel Carrerão e Lucinha
 
 
Prêmios
Finalista do prêmio Jabuti em 2006, Ao homem que não me quis
Finalista do prêmio São Paulo em 2009, Hotel Novo Mundo


Participação em coletâneas

"Mercúrio-cromo" em Ficções, n. 11. 2003, 7Letras
 
"Princípios elementares para uma nova classificação dos tipos humanos" em Geração 90: os transgressores. Organização de Nelson de Oliveira. 2003, Boitempo
 
"O amor semeia frutos que não colhe" em Ficções fraternas. Organização de Lívia Garcia-Roza. 2003, Record
 
"Rondó" em Contos de escritoras brasileiras. Organização de Márcia Lígia Guidim e Lúcia Helena Vianna. 2003, Martins Fontes

"Minha tia, na sala de camisola", "Oco", "Fenemê", "O broche", "O jantar" e "Sorte" em PS-SP. Organização de Marcelino Freire. 2003, Ateliê

"Lacinho cor-de-rosa" em InSPiração. Organização de Rodrigo de Faria e Silva. 2004, FS Editor

"Feijoada" em Os cem menores contos brasileiros do século. Organização de Marcelino Freire. 2004, Ateliê
 
"Mãe, o cacete" em 25 mulheres que estão fazendo a nova literatura brasileira. Organização de Luiz Ruffato. 2004, Record
 
A versão do autor. Organização de Milton Nakanishi e outros. 2004, Com-arte
 
"Anotações encontradas entre os pertences de um jornalista" em Antologia bêbada. Organização de Joca Reiners Terron. 2004, Ciência do Acidente
 
"Do incrível talento que os escritores têm para se meter em becos sem saída" em Dentro de um livro. 2005, Casa da Palavra
 
"José, meu amor marinheiro" em Contos sobre tela. Organização de Marcelo Moutinho. 2005, Pinakotheke
 
"Dez anos" em Conto até 10. Organização de Marcelino Freire. 2005, Ateliê
 
"Papai Noel existe?" em Merreca Christmas. Organização de Nelson Botter. 2005, Matrix
 
"Visitas dominicais" em A visita. Organização de Isabella Macarti. 2005, Barracuda
 
Álbum de fotos. Coleção E, 2005, Lazuli
 
"Do forno pro computador, do computador pro forno" em Céu da Boca. Organização de Edith Elek. 2006, Summus
 
"Como trepar com o marido da sua melhor amiga sem por em risco a amizade" em 35 Segredos para chegar a lugar nenhum.  Organização de Ivana Arruda Leite. 2007,  Bertrand
 
"O amor semeia frutos que não colhe" em Contos de agora (áudio). Organização de Moacyr Godoy Moreira. 2007, Livro Falante
 
"Flor amarela" em Contos de Algibeira. Organização de Laís Chaffe. 2007, Casa Verde
 
O futuro do Livro: 60 visões. 2007, Olhares
 
"Dona Sara" em História de imigrantes. Organização de Adilson Miguel. 2008, Scipione
 
"O goiabão" em Capitu mandou flores. Organização de Rinaldo de Fernandes. 2008, Geração editorial
 
"Gilda" em Antologia m(ai)s sadomasoquista da literatura brasileira. Organização de Antonio Vicente Seraphim Pietroforte e Glauco Mattoso. 2008, Aix

"8 de janeiro de 1949", "Meu avô Bento", "Réquiem para uma lavadora" e "É menina" em Blablablogue. Organização de Nelson de Oliveira. 2009, Terracota

"Vinte e quatro menos um" em Grafias urbanas. Organização de Adilson Miguel. 2010, Scipione

Autores e Ideias. Organização de Mona Dorf. 2010, Benvirá

"Rastro" em 60tão. Organização de Ivana Arruda Leite. 2011, Edith
 

"Há quem saiba ser feliz escondido" em Documentais: desencontros, lembranças e testemunhos. Organização de Schneider Carpeggiani. 2013, Cepe


Adaptações de clássicos
Poliana, de Eleanor Porter, ilustrado por Dave Santana - 2004, Escala
Fábulas de Esopo, ilustradas por Dave Santana - 2004, Escala 
Robin Hood, ilustrado por Sergio Barbo - 2004, Escala 
As mil e uma noites, ilustrado por Thais Linhares - 2005, Escala 
Pinóquio, de Carlo Collodi, ilustrado por Guazelli - 2005, Escala 
A ilha do tesouro, de Robert Louis Stevenson, ilustrado por Mauricio Paraguassu - 2006, Escala
Peter Pan, de J. M. Barrie, ilustrado por Dave Santana e Mauricio Paraguassu - 2009, Escala
 
 
Edições estrangeiras
Catalunha, Fa, l’ús de dona? - 2005, Emboscall
 
 
Participação em coletâneas estrangeiras
Portugal, "Quatro Dolores" em Putas: o melhor do conto brasileiro e português. Organização de Walter Hugo Mãe. 2002, Quasi
Itália, "Fidanzatini santi", "Cibele", "Papero e Papera", "Puttana selettiva", "Doroti, la Donna sirena" em Sex’n’ Bossa. Organização de Patrizia di Malta - 2005, Mondadori
Argentina, "Gilda", "Raquel Hannerman", "São Cristóvão", "Corazón partido", "Mi tia, em la sala, de camisón", "El broche", "Anotaciones halladas entre las pertenencias de um periodista" em Terriblemente felices. Organização de Cristian De Napoli. 2007,  Emecé
Alemanha, "Frau aus dem Volk" em Wenn der Hahn kraht. Organização de Wanda Jakob e Luísa Costa Holzl. 2013,  Edition Fünf
Alemanha, "Die Seife der Stars", "Dornröschens Flitterwochen", "Gilda", "Stil Leben", "Die wahre Tragödie" em Minigeschichten aus Brasilien. Organização de Wanda Jakob e Luísa Costa Holzl. 2013, DTV
México, "La quinta carta", "Mujer del pueblo" em Nado Libre: narrativa brasileña contemporánea. Organização de Consuelo Rodríguez Muñoz y Carlos López Márquez, 2013
Alemanha, "Rezept für das Gericht Geliebter Mann", "Die Sternenseife" em Die Hören #251. 2014, Wallsteins Verlag

 

Obras em Destaque

  • imagem

    Contos reunidos (1997 - 2005)

    Demônio negro - 2014 - 276 págs.

    "Meninas enfurecidas furam os olhos de suas bonecas. Irmãs siamesas dividem uma perna... e também o namorado. Um homem chamado Edu encolhe de repente e passa a boiar num aquário. Uma certa Joelma ensopada de álcool se desfaz em labaredas. Esposas são servidas no vinagrete, enquanto os maridos giram no espeto ou são devorados com guardanapos de linho... Se fôssemos listar todas as diversões e perversidades que aparecem nas fábulas terríveis deste livro, encheríamos facilmente algumas páginas. Humor e fantasia, logo se vê, aqui são as palavras-chaves. Acontecimentos inacreditáveis se transformam em anedotas de caráter surrealista. Blasfêmias e palavrões são desferidos o tempo inteiro por essa língua solta, viperina, irascível. Língua imensa - eis o poderoso falo da mulher - que se exprime, paradoxalmente, numa língua enxuta, tiro e queda, sem qualquer tipo de excesso".
     
    Ivan Marques

  • imagem

    Hotel Novo Mundo

    Editora 34 - 2009 - 128 págs.

    "A ironia, o sarcasmo, o humor cortante saltam desde a primeira página. Vejam o encontro da protagonista, Renata, com o companheiro de viagem: a demolição de um tipo de pessoa, de uma classe social. Se você começou a ler, está fisgado, preso. E como a personagem se define em poucas linhas: uma 'mulher inútil sem a menor ideia do que fazer daqui para a frente'. Em poucas palavras, é dado o clima: 'Os hóspedes do Novo Mundo não costumam chegar de táxi'. Precisa mais para mostrar o pulgueiro? Assim, nesse hotel nas proximidades da estátua do Duque de Caxias, no centro de São Paulo, se desenrola o fracasso de um relacionamento e uma busca. Do quê? Alguém sabe? Aqui está um mundo à parte, ou talvez um mundo que é um microcosmo do Brasil, com suas leis, sua moral, ética, cinismo, corrupção, contravenção, frustrações, traições (o que é traição?). Tudo isso narrado com um jeito calmo, natural - éapenas alguém descrevendo sem um olhar de espanto, sem tomar partido, apenas dizendo: vejam, é assim que as coisas são.  Há algo de Nelson Rodrigues, de Tennessee Williams... Que digo? Há muito de Ivana e desse olhar que rasga como lâmina".
     
    Ignácio de Loyola Brandão

  • imagem

    Diomira e o coronel Carrerão: a Sherazade do sertão

    Brinque Book - 2009 - 48 págs.

    Era uma vez um príncipe que abriu mão da fortuna e saiu pelo mundo com a roupa do corpo.
     
    Era uma vez um caipira que vivia com um papagaio dentro de um saco.
     
    Era uma vez um homem muito esperto que bateu na casa de uma viúva dizendo ter notícias do marido morto.
     
    Era uma vez um homem muito bravo que vivia sozinho em sua fazenda sem ninguém para lhe fazer companhia nem para tirar um dedo de prosa.
     
    Sua rabugice espantava todo mundo. As pessoas queriam distância do velho mandão que só sabia reclamar.
     
    Esse era o coronel Carrerão, na casa de quem Diomira foi trabalhar.
     
    Só que a moça, muito esperta, acabou descobrindo um jeito de por fim na rabugice do velho.

  • imagem

    Confidencial: anotações secretas de uma adolescente

    Editora 34 - 2003 - 96 págs.

    Tenho direito a duas palavrinhas:
     
    Sei que diário não é coisa que se exiba em público. Muito menos para tanta gente, que a gente nem conhece.
     
    Neste livro eu conto parte do que vivi entre os 14 e os 15 anos.
     
    Muita coisa foi criação da minha querida tia Ivana, a "autora de verdade". Mas vocês podem ter certeza de que a maioria dos fatos aconteceu mesmo. E o principal: eu não sou só uma personagem! Tenho nome, endereço, CIC, RG e título de eleitor.
     
    Mas fiquem sossegados: este não é um livro que traz receita pronta, nem modelo pré-fabricado de adolescente. Ele apontaos problemas para você mesmo busque as soluções que lhe pareçam melhores. Nada pior do que adulto buzinando regras na nossa cabeça.
     
    No livro, a tia Ivana é a tia Bi, eu continuo sendo a Ana Laura.
     
    Tudo bem que ela manteve meu nome. Este livro fala de uma aventura que todo jovem conhece (afinal, eu não sou a única "noiada" do planeta): problemas com os pais, brigas com o irmão, ciúmes das amigas, ficantes e tudo que a gente começa a enfrentar nessa fase da vida. Creiam, o que a gente passa é muito parecido, embora as saídas sejam várias e cada um tenha de encontrar a sua.

    Ilustrado por Bianca Viani


Sobre a Agência Riff
imagem

Inaugurada em 1991, a Riff representa grandes nomes da literatura brasileira e as principais editoras e agências literárias estrangeiras no Brasil e em Portugal. Saiba mais.




2011 Agência Riff todos os direitos reservados - agenciariff@agenciariff.com.br Guilhotina Design