sexta-feira 15 de dezembro




Adriana Falcão

Adriana Falcão
 
A carioca Adriana Falcão passou a juventude em Recife (PE). Se formou em arquitetura e depois foi redatora publicitária, ofício que tem como matéria sua verdadeira paixão: a palavra. Já adulta, voltou para o Rio de Janeiro, onde o diretor Guel Arraes conheceu seus textos e começou a utilizá-los no programa de TV A Comédia da vida privada. A partir daí, foi convidada para colaborar em diversos roteiros, entre ele o do filme O auto da compadecida, baseado no livro de Ariano Suassuna, que foi um grande sucesso do cinema nacional. Adriana, uma das autoras do programa da TV Globo A grande família, estreou na literatura com A máquina, em 1999. Sua intenção era escrever uma peça, mas o texto virou livro e depois foi adaptado, tanto para o teatro quanto para o cinema, por João Falcão. Ela já fez crônicas para a revista Veja Rio e hoje é colunista do jornal O Estado de São Paulo. Dona de um texto imaginativo e bem-humorado, Adriana lançou também livros infanto-juvenis, entre os quais o best-seller Mania de explicação.
 
No romance A máquina, Adriana trata do amor e do tempo, a partir de uma história que se passa na cidade de Nordestina, onde ninguém quer ficar. Menos o sonhador Antônio, apaixonado por Karina. Mas ela também não vê a hora de sair daquele fim de mundo para ser atriz de televisão. Então, Antônio promete levar o mundo para ela, sem que tenham que se mover. Adriana Falcão fez uma história original e afetuosa, brasileira e universal. A originalidade é um traço marcante também em outras obras da autora, como A comédia dos anjos, em que Dona Madalena, uma fantasma intrometida, volta à Terra depois de seu enterro para endireitar a vida da filha, pois não suporta que o mundo siga sem ela. O livro trata de forma divertida das relações familiares. 
 
Em 2001, Adriana estreou na literatura infanto-juvenil com Mania de explicação, que começa assim: “Era uma menina que gostava de inventar uma explicação para cada coisa. Explicação é uma frase que se acha mais importante que a palavra”. A diversas perguntas “por quê isso?” ou “o que é aquilo?”, Adriana criou respostas singelas, poéticas e criativas, como “Solidão é uma ilha com saudade de barco”, “Vontade é um desejo que cisma que você é a casa dele” e “Irritação é um alarme de carro que dispara bem no meio do seu peito”. A autora conquistou não só crianças, mas leitores de todas as idades, que fizeram de Mania de você um best-seller. Depois vieram outros sucessos no gênero, como Luna Clara e Apolo Onze e PS beijei. Abaixo, veja a lista de livros de Adriana Falcão.
 
 
“A prosa de Adriana tem sortilégio. A gente se encanta com ela no sentido de se deliciar mas também no sentido de cobra hipnotizada. De chegar ao fim e não saber bem o que nos aconteceu”“
Luis Fernando Verissimo
 
“Adriana mostra que é possível fazer uma obra juvenil de alto nível, simplificando a sofisticação ou sofisticando a simplicidade. A receita mistura não apenas um recheio suculento (uma boa história) como também um desenho inovador (a forma).”
Cláudia Nina, Jornal do Brasil
 
 
 
OBRAS
 
Romances
A Comédia dos Anjos (142 págs.) - 2004, 2010, Salamandra
Sonho de uma Noite de Verão / Coleção Devorando Shakespeare (150 págs.) - 2007, Objetiva
A Máquina / il. Fernando Vilela (80 págs.) - 2006, 2013, Salamandra
Queria ver você feliz (160 págs.) - 2014, Intrínseca
2010 - A comédia dos anjos2007 - Sonho de uma noite de verão2013 - A máquina2014 Queria ver você feliz
 
 
Contos & Crônicas
O Homem que só tinha Certezas (71 págs.) - 2006, Planeta
Procura-se um amor (96 págs.) - 2013, Salamandra
O Doido da Garrafa (128 págs.) - 2003, 2014, Salamandra
2006 - O homem que só tinha certezasProcura-se um amor 20132014 - O doido da garrafa
 
 
Poesias
A Arte de Virar a Página (108 págs.) - 2009, Objetiva
Pequeno Dicionário de Palavras ao Vento / il. Thaís Beltrame (116 págs.) - 2003, 2011, Salamandra
2009 - A arte de virar a página2011 - Pequeno dicionário de palavras ao vento
 
 
Infantil & Juvenil
Mania de Explicação / il. Mariana Massarani (48 págs.) - 2001, Salamandra
Luna Clara e Apolo Onze / il. José Carlos Lollo (328 págs.) - 2002, Salamandra
Sarnento, Pulguento, Magrinho, Uma Graça / Contos de Estimação – 2003, Objetiva
PS Beijei / co-autora: Mariana Veríssimo (128 págs.) - 2004, Salamandra
A Tampa do Céu / il. Ivan Zigg (32 págs.) – 2005, Salamandra
Sete Histórias para Contar / il. Ana Terra (48 págs.) - 2008, Salamandra
A Gaiola / il. Simone Matias (32 págs.) - 2013, Salamandra
Valentina Cabeça na Lua / il. Alexandre Rampazo (32 págs.) - 2013, Salamandra
Mania de Explicação - Peça em seis atos, um prólogo e um epílogo / il. Mariana Massarani / co-autoria Luiz Estellita Lins (96 págs.) - 2014, Salamandra
 
2001 - Mania de Explicação2002 - Luna Clara e Apolo Onze2004 - PS Beijei2005 - A tampa do céu2008 - Sete histórias para contar2013 - A gaiolavalentina cabeça na lua 20132014 - Mania de Explicação
 
 
Edições Estrangeiras
Espanha: Luna Clara & Apolo Onze – (no prelo), Maresia Libros
Itália: Luna Chiara Apollo 11 - 2005, Fanucci Editore
México: Maniática de la Explicación / il. Mariana Massarani - 2010, Fondo de Cultura (direitos revertidos)
Portugal: Luna Clara e Apolo Onze - 2006, Âmbar (direitos revertidos)
Portugal: A Comédia dos Anjos - 2007, Âmbar (direitos revertidos)
Portugal: Mania de Explicação / il. Mariana Massarani - 2010, Vogais & Companhia (direitos revertidos)
2010 - Maniática de la Explicación - México2010 - Mania de Explicação - Portugal2006 - Luna Clara e Apolo Onze - Portugal
 
 
Prêmios
Prêmio Ofélia Fontes – O melhor para crianças, da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil, 2001, por Mania de explicação
Altamente Recomendável, FNLIJ, 2015, Categoria Teatro - por Mania de Explicação: peça em seis atos, um prólogo e um epílogo

Obras em Destaque

  • imagem

    A arte de virar a página

    Objetiva - 2009 - 108 págs.

    A arte de virar a página conta uma história cotidiana e simples, mas profundamente representativa do universo feminino contemporâneo. Assim como na vida, dias bons e ruins se sucedem a cada página em flashes ilustrados com muito humor. Fruto da parceria com o fotógrafo Léo Miranda, a obra "é um livro-objeto, que pode ser manuseado de maneira simples e que tem uma mensagem que vai direto ao ponto", diz a autora. As páginas revelam uma mulher inquieta, que se entristece e volta a se alegrar; que duvida e novamente acredita; que é muitas e ao mesmo tempo uma só.
     
    "William Shakespeare escreveu que guardar ressentimentos é como tomar veneno esperando que o outro morra. Pois o ideal de superá-los é justamente o que torna válido o ato de virar a página", compara Adriana. Para ela, é preciso constantemente buscar essa aplicação na vida pessoal, no trabalho, com os amigos e com o mundo. "É preciso que a gente aprenda a lidar com um dia após o outro e perceber que certos tipos de problema não podem ser resolvidos, mas é preciso ir adiante, continuar a vida da melhor forma possível", diz .
     
    A arte de virar a página não é um guia filosófico de bem-estar, mas um retrato bem-humorado e descomplicado dos questionamentos da vida, compartilhados por mulheres de todas as idades, em todo o mundo.

  • imagem

    O homem que só tinha certezas

    Planeta - 2006 - 71 págs.

    O homem que só tinha certezas é uma coletânea de crônicas, que Adriana escreveu para a revista Veja Rio, entre 2001 e 2003. Nelas é possível observar o olhar terno e original que a autora imprime aos mais banais fatos e personagens: loucos de rua, gente comum, alegre, apaixonada ou esquisita. Mas sempre gente, a matéria-prima por excelência das crônicas, que encantam o público.

  • imagem

    A Comédia dos Anjos

    Salamandra - 2004 - 142 págs.

    Em A comédia dos anjos, a protagonista é D. Madalena, uma fantasma bisbilhoteira que volta logo depois do enterro para tentar endireitar a vida da filha. Separada e com um filho, a moça namora um dono de bar falido. Enquanto isso, pensa no ex-marido, jogador de futebol, que escolheu a carreira em lugar da família. Ao contrário do que se poderia prever, a chegada da divertida fantasma não gera horror. A surpresa é logo coberta pela personalidade forte da velhinha, que quer continuar a jogar baralho com as amigas e dar um jeito para o novo genro ganhar dinheiro no bar.

  • imagem

    Luna Clara e Apolo Onze

    Salamandra - 2002 - 328 págs.

    Os pais de Luna Clara, Doravante e Aventura, vivem vivem se achando e se perdendo. O avô da menina, Erudito, perde as histórias que havia colecionado e também o papagaio. As tias perdem os namorados. Em um constante ir-e-vir, na região de Desatino do Norte, as vidas de Luna Clara e Apolo Onze acabam se cruzando.
     
    Adriana Falcão escreveu Luna Clara e Apolo Onze em homenagem à filha Clarice, quando ela tinha 12 anos. O texto mistura aventura, romance e realismo mágico e trata de encontros e desencontros amorosos.
     
    “Adriana aqui reinventa não só a narrativa como a linguagem. Ela reinventa a maneira de contar uma história. E faz isso com mão de mestre, com um nível de invenção que não conheço em outros autores brasileiros. Ela chegou arrasando”, 
    Ziraldo

  • imagem

    Mania de Explicação

    Salamandra - 2001 - 48 págs.

    Mania de explicação é uma espécie de dicionário íntimo, em que Adriana Falcão elabora frases poéticas para explicar o que são determinadas coisas. A inspiração para o livro são perguntas que sua filha Isabel fazia a ela, quando tinha nove anos. O livro é um infanto-juvenil que, de tão bonito e singelo, conquistou um público variado, de todas as idades. “Vontade é um desejo que cisma que você é a casa dele”, “Apesar é uma dificuldade que não é grande o suficiente” e “Dificuldade é a parte que vem antes do sucesso” são algumas frases com que o leitor se delicia.
     
    Ilustrado por Mariana Massarani, Mania de explicação teve duas indicações para o Prêmio Jabuti e recebeu o Prêmio Ofélia Fontes – O melhor para crianças, da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil.


Sobre a Agência Riff
imagem

Inaugurada em 1991, a Riff representa grandes nomes da literatura brasileira e as principais editoras e agências literárias estrangeiras no Brasil e em Portugal. Saiba mais.




2011 Agência Riff todos os direitos reservados - agenciariff@agenciariff.com.br Guilhotina Design