segunda-feira 25 de setembro




Augusto Frederico Schmidt

Augusto Frederico Schmidt
 
Augusto Frederico Schmidt nasceu no Rio de Janeiro, em 1906. Polivalente, foi capaz de conciliar a literatura a uma bem-sucedida atividade empresarial. Viveu e estudou na Suíça dos 8 aos 10 anos e, ainda adolescente, começou a trabalhar no comércio do Rio, primeiro como balconista da famosa livraria Garnier e, em seguida, caixeiro viajante. Conviveu com os modernistas da primeira geração e, em 1928, publicou seu primeiro livro de poesias. Em 1931, fundou a Editora Schmidt, responsável pelo lançamento importantes obras, como Caetés, de Graciliano Ramos, Casa Grande & Senzala, de Gilberto Freire, O País do Carnaval, de Jorge Amado e João Miguel, de Rachel de Queiroz. Colaborou com os jornais O Globo, Correio da Manhã e A Tarde. Rico, influente e identificado com o golpe de 1964 – embora, mais tarde, tenha criticado duramente a regime que veio a estabelecer-se –, a obra de Schmidt foi injustamente rechaçada pela intelectualidade da época e, hoje, volta a ser publicada e estudada no Brasil, sendo considerada uma das mais expressivas e maduras da segunda fase do modernismo brasileiro. Morreu em um acidente de carro, em 1965.
 
Poeta, polemista, ensaísta e empresário, Augusto Frederico Schmidt esteve no centro dos acontecimentos no Brasil nas décadas de 40, 50 e 60 do século passado. Viveu intensamente o seu tempo, em todas as esferas. Suas memórias, assim como seus artigos políticos, constituem um registro privilegiado de uma época. 
Sua poesia realiza o sonho de muitos leitores de ver reunida, numa só construção, o despojamento moderno e o calor da emoção romântica.
 
“Meu amor, a noite cai aos poucos/ Sobre mim, aos poucos sobre mim /E é como terra/ Sobre corpo de morto'.
Augusto Frederico Schmidt
 
''Outros poetas são vigilantes, contidos, econômicos até esqueléticos. A natureza assim os determinou. Ele, ao inverso talvez se constrangesse até ao esgotamento e a esterilidade, se tentasse comprimir o fluxo vocabular. E perderíamos, com essa imagem deformada, a intensidade do seu ser lírico, o que nele era tão típico e insuscetível de regulamentação teórica e formal - o melhor e mais caloroso Schmidt.''
Carlos Drummond de Andrade, Jornal do Brasil (9/2/1965)


Site do autor: 
www.fundacaoschmidt.org.br
 
OBRAS
 
Contos & Crônicas
Antologia de Prosa – 1962, 2001, Topbooks
2001 - Antologia de Prosa
 
 
Não Ficção: Ensaios
Antologia Política – 2002, Topbooks
2002 - Antologia Política
 
 
Poesia
Canto do Brasileiro – 1928, Edição do autor
Canto do Liberto – 1929, Edição do Autor
Navio Perdido – 1929, Edição do Autor
Pássaro Cego – 1930, Edição do Autor
Desaparição da Amada – 1931, Schmidt
Canto da Noite – 1934, Editora Nacional
Estrela Solitária – 1940, José Olympio
Mar Desconhecido – 1942, José Olympio
Poesias Escolhidas – 1946,
Fonte Invisível – 1949, José Olympio
Mensagem aos Poetas Novos – 1950, Pocai
Ladainha do mar – 1951, Hipocampo
Morelli – 1953, Prensa Gótica
Os Reis – 1953, Gráfica das Artes
50 Poemas Escolhidos – 1956, Mec
Aurora Lívida – 1958, Simões
Babilônia – 1959, Livraria São José
Nova Antologia Poética – 1962, Edição do autor
A Casa vai descendo orio - 1962
O Caminho do frio – 1964, José Olympio
Sonetos – 1965, Rio Gráfica
Ciclo da Moura – 1967
Eu te direi as grandes palavras – 1975
Poemas de Amor – 1988, Global
Poesia Completa – 1995, Topbooks e Faculdade da Cidade
Um Século de Poesia (seleção e organização de Letícia Mey e Euda Alvim) – 2005, Editora Globo
Saudades de Mim Mesmo (seleção e organização de Letícia Mey e Euda Alvim) – 2006, Editora Globo
Os Melhores Poemas de Augusto Frederico Schmidt – (no prelo), Global
1998 - Poemas de amor2005 - Um século de poesia2006 - Saudades de mim mesmo
 
 
Memórias
O Galo Branco – 1948 (nova edição no prelo), Cosac & Naify
Paisagens e seres – 1950
Discurso aos jovens brasileiros – 1956
Prelúdio à revolução – 1964
Antologia de Prosa – 1964
Cartas de sempre - 1981
As Florestas – 1958 - 1997 – Topbooks
1964 - Prelúdio a revolução1981 - Cartas de sempre1997 - As florestas

 


Obras em Destaque

  • imagem

    Saudades de Mim Mesmo

    Globo - 2006 - .

    Seleção e organização de Letícia Mey e Euda Alvim


Sobre a Agência Riff
imagem

Inaugurada em 1991, a Riff representa grandes nomes da literatura brasileira e as principais editoras e agências literárias estrangeiras no Brasil e em Portugal. Saiba mais.




2011 Agência Riff todos os direitos reservados - agenciariff@agenciariff.com.br Guilhotina Design