segunda-feira 23 de outubro




Celso Luft

Celso Luft
 
Celso Pedro Luft nasceu em 1921, em Poço das Antas, área do Estado do Rio Grande do Sul habitada por descendentes de imigrantes alemães. Filho de um professor, tornou-se leitor voraz desde cedo. Ainda adolescente, entrou para o seminário dos irmãos maristas, na capital do estado, de onde saiu anos mais tarde para casar-se com a escritora Lya Luft. Em 1940, matriculou-se no curso de Letras Clássicas. Na década de 50, participou de um curso de reciclagem profissional na França e especializou-se em Filologia Portuguesa na prestigiada Universidade de Coimbra. Foi professor titular de Língua Portuguesa da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul e tornou-se referência obrigatória no estudo e ensino da língua portuguesa no Brasil. Faleceu em 1995.
 
Autor de obras fundamentais para o estudo da língua e titular da cadeira de Língua Portuguesa em duas das mais importantes faculdades de Letras do país, Celso Luft não se deixou aprisionar pelo saber acadêmico, mas fez dele instrumento para a liberdade de expressão. Na verdade, Luft jamais perdeu o sentido de finalidade e o amor pela língua viva, sempre lembrado de que a verdadeira gramática nasce do uso da língua, é seu espírito, a lógica que lhe permite construir novos sentidos a partir dos mesmos elementos. Seu legado é uma enriquecedora contribuição para o diálogo entre alunos e professores, leitores e autores, lingüísticos e gramáticos; a língua e todas as suas incontáveis possibilidades.
 
Em suas aulas, como em seus livros, a língua surgia cheia de vitalidade, com pouca teoria e muita prática, saltando de textos medievais, renascentistas e modernos. Luft não se preocupava apenas com o conhecimento da língua, mas também em encontrar a maneira mais eficiente de transmiti-lo, sem opressão, sem bocejos, sem obsessões puristas, sem paralisia nem alma de fóssil, mas também sem leviandade. Ao mesmo tempo em que se mantinha fiel ao aprofundamento dos estudos da língua, o professor trabalhava também pela democratização do conhecimento. Em vez de ficar trancado em jargões e pensamentos acadêmicos tradicionais, a experiência universitária motivou-o a refletir cada vez mais sobre questões essenciais para a verdadeira democratização do conhecimento. Assim, como sua Moderna Gramática Brasileira constitui um monumento de saber lingüístico, referência fundamental para os estudiosos de língua portuguesa, em Língua e Liberdade, Luft nos oferece uma espécie de livro-testamento, onde reafirma seu entendimento da Gramática, para propor uma profunda mudança no sistema de ensino da língua portuguesa.
 
Mas o professor não queria somente ensinar a língua, desejava transmitir sua verdadeira paixão por ela e, em O Romance das Palavras, um minucioso trabalho de pesquisa, explica a origem de palavras e expressões do português, mesclando críticas, sugestões e descobertas, com emoção e humor. 
 
“Na verdade, os livros que chamamos gramáticas são meras tentativas de registro e explicação de parte ínfima das regras contidas na autêntica GRAMÁTICA, a vital, verdadeira: conjunto de regras que sustentam o sistema de qualquer língua, com ela nascem, evoluem e morrem.” 
Celso Luft
 
”Precisamos desenvolver nos alunos o espírito crítico, tão temido por um ensino superior repressor, mas imprescindível para que possam discernir entre linguagem boa e má, falada ou escrita. Urge acabar com a figura do professor como ‘aquele que sabe’, e do aluno como ‘aquele que não sabe’, partindo para um trabalho de crescimento em conjunto, de pesquisas e descobertas de ambos os lados....”
Celso Luft
 
 
OBRAS
 
Referência
Novo Manual de Português – 1971, Editora Globo
Dicionário Prático de Regência Nominal – 1992, Editora Ática
O Romance das Palavras – 1996, Editora Ática
A Vírgula – 1996, Editora Ática
Língua e Liberdade – 1998, Editora Ática
Minidicionário Luft – 1999, Editora Ática
Dicionário Prático de Regência Verbal – 1999, Editora Ática
Microdicionário Luft – 2000, Editora Ática
A Palavra É Sua – 2000, Scipione
Novo Guia Ortográfico – 1972, 2003, Editora Globo
Moderna Gramática Brasileira – 1974, 2003, Editora Globo 
Gramática Resumida: Explicação da Nomenclatura Gramatical Brasileira – 1960, 2004, Editora Globo
Ensino e Aprendizado da Língua Materna - 2007, Editora Globo
ABC da Língua Culta - 2010, Editora Globo 
Grande Manual de Ortografia (274 págs.) – 1983, 2002, 2012, Editora Globo
Decifrando a Crase – 2005, 2014, Editora Globo
1971 - Novo manual de português1992 - Dicionário prático de regência nominal1996 - O romance das palavras1996 - A vírgula1998 - Língua e liberdade1999 - Minidicionário Luft1999 - Dicionário prático de regência verbal2000 - Microdicionário Luft2003 - Novo guia ortográfico
2003 - Moderna gramática brasileira2004 - Gramática resumida2007 - Ensino e aprendizado da língua materna2010 - ABC da língua culta2012 grande manual da ortografia2014 - Decifrando a crase

 


Obras em Destaque

  • imagem

    ABC da Língua Culta

    Globo - 2010 - .


Sobre a Agência Riff
imagem

Inaugurada em 1991, a Riff representa grandes nomes da literatura brasileira e as principais editoras e agências literárias estrangeiras no Brasil e em Portugal. Saiba mais.




2011 Agência Riff todos os direitos reservados - agenciariff@agenciariff.com.br Guilhotina Design