sábado 16 de dezembro




João Cabral de Melo Neto

João Cabral de Melo Neto
 
João Cabral de Melo Neto nasceu no Recife, Pernambuco, em 1920. Passou parte da infância nos engenhos de açúcar da família e, aos 10 anos, voltou ao Recife, ingressando numa escola de Irmãos Maristas. Ainda adolescente, freqüentava o Café Lafayette, ponto de encontro da intelectualidade local. Transferiu-se definitivamente para o Rio de Janeiro em 1942, ano em que publicou seu primeiro livro de poemas, Pedra do Sono. Embora sua descrença na inspiração chocasse e desagradasse alguns,a qualidade de sua poesia foi desde logo reconhecida no meio literário. Em 1945, entrou para o Itamaraty e serviu o Brasil em Barcelona, Londres, Sevilha, Marselha, Madri, Genebra, Berna e Assunção. Promovido ministro de primeira classe, em 1976, foi embaixador no Senegal, no Equador e em Honduras e Cônsul Geral do Brasil na cidade do Porto (Portugal). Autor de uma obra poética que privilegia a razão, tem como matéria o mundo objetivo e propõe a crítica social. Cabral foi um renovador da poesia brasileira, para a qual se tornou referência indispensável. Considerado o mais forte candidato brasileiro ao Prêmio Nobel, foi eleito membro da Academia Brasileira de Letras em 1968. Em 1987, voltou a residir no Rio de Janeiro e aposentou-se do Itamaraty em 1990. Em 1994, a dor de cabeça que o atormentava há anos foi diagnosticada como sintoma de uma doença degenerativa que o levaria à cegueira. Faleceu no Rio de Janeiro aos 79 anos. 
 
O engenheiro, como João Cabral tornou-se conhecido por seu processo racional e preciso de construção poética, propunha que a poesia fosse resultado de uma atitude objetiva, diante da realidade concreta, uma postura de quem controla racionalmente as emoções, o que em sua obra se expressa por um rigoroso cuidado formal. Na epígrafe de O Engenheiro (1945), cujo tema principal é o próprio fazer poético, o autor, citando Le Corbusier, deixa clara a intenção de sua poesia de ser uma “machine à émouvoir...” (máquina de comover). Com essa disposição, o poeta concebe seus livros segundo uma arquitetura de cálculos precisos. Freqüentemente, essa arquitetura presta-se a erguer uma crítica social capaz de comover e mover. É o caso, entre outros, dos livros O Cão Sem Plumas (1950), O Rio (1954) e Morte e Vida Severina (1965), o mais popular de seus livros, tendo sido adaptado para a tv. Neles, Cabral recria a dura vida sertaneja, tendo sempre presente o rio Capibaribe, como paisagem, testemunha e, até mesmo, narrador (em O Rio).
 
As paisagens áridas do Nordeste brasileiro ou de Sevilha são, de certa forma, metáforas para sua própria linguagem; numa como noutra, a beleza é quase uma agonia, uma aflição de querer ser, produto do esforço de quem vê no concreto da vida não só o que ela é, concretamente, mas também o que essa concretude evoca aos olhos e ao coração do homem.
 
“O Engenheiro
A luz, o sol, o ar livre
envolvem o sonho do engenheiro.
O engenheiro pensa  sonha coisas claras:
superfícies, tênis, um copo de  água.
 
O lápis, o esquadro, o papel;
o desenho, o projeto, o número:
o engenheiro pensa o mundo justo,
mundo que nenhum véu encobre".
João Cabral de Melo Neto
 
“(...) com ele, a língua portuguesa, esta esquecida flor, foi mais fundo em direção ao misterioso “Real” que quase nenhuma outra terra já avistada por alguns, como John Donne, mais tarde por Francis Ponge, Marianne Moore, gente que não brincava de beleza, mas de epistemologia. João Cabral, para mim, fez uma teoria da percepção.”
Arnaldo Jabor, cineasta, e cronista
 
“Literatura não é só o ato decaptar na obra literária uma determinada coisa: há acontraparte, que é a capacidade de comunicar acoisa captada. (...) o critério para saber se a coisafoi bem expressa é justamente a possibilidade de queela tenha sido comunicada a outras pessoas além doartista.”
João Cabral de Melo Neto
 
“Educação pela pedra é, quase poema a poema, uma obra-prima de meditação profunda e inesgotável”.
Oscar Lopes

Templo Cultural Delfos

Veja abaixo o vídeo com poemas de João Cabral de Melo Neto:
 
 
 
 
OBRAS
 
Poesias
Melhores poemas de JCMN (org. de Antonio Carlos Secchin) – 1985, Global
Novas Seletas (org. por Luiz Raul Machado) - 2002, Nova Fronteira
O cão sem plumas (204  págs.) – 2007, Alfaguara
O artista inconfessável (200 págs.) – 2007, Alfaguara
Morte e Vida Severina e Outros Poemas (169 págs.) – 1955, 2007, Alfaguara
Auto do Frade (120 págs.) – 1984, 2007, Nova Fronteira
A Escola das Facas e Auto do Frade (195 págs.) – 1979, 2008, Alfaguara
A Educação pela pedra (292 págs.) – 2004, 2008, Alfaguara
Agrestes (200 págs.) – 1985, 2009, Alfaguara
Museu de Tudo (168 págs.) - 2009, Alfaguara
Poemas para ler na escola (seleção de Regina Zilberman) (240 págs.) – 2010, Objetiva
Ilustrações para fotografias de Dandara (36 págs.) – 2011, Objetiva
Crime na Calle Relator / Sevilha Andando (224 págs.) - 2011, Alfaguara
O Rio (160 págs.) - 2012, Saraiva / Alfaguara
Notas sobre uma possível A Casa de Farinha (146 págs.) - 2013, Alfaguara
A Literatura como Turismo (150 págs.) - 2016, Alfaguara
1985 - Melhores poemas de JCNM2007 - O cão sem plumas2007 - O artista inconfessável2007 - Morte e vida Severina e outros poemas2007 - Auto do frade2008 - A escola das facas e auto do frade2008 - A educação pela pedra2009 - Agrestes2009 - Museu de tudo2010 - Poemas para ler na escola
2011 - Ilustrações para fotografias de Dandara2011 - Crime na Calle Relator / Sevilha Andando2012 - O rio e outros poemas 2013 - Notas sobre uma possível casa de farinha2016 - A literatura como turismo
 
 
Não Ficção: Ensaios
Prosa – 1997, Nova Fronteira
1997 - Prosa
 
 
Edições Estrangeiras
Peru - Pedra do Sono, Colmena Editores (direitos revertidos)
Peru - O Engenheiro, Colmena Editores (direitos revertidos)
Portugal – A Educação Pela Pedra - 2006, Livros Cotovia
Portugal - Poesia Completa - 2014, Glaciar Azul
2016 - A educação pela pedra2014- Poesia Completa

 


Obras em Destaque

  • imagem

    Ilustrações para fotografias de Dandara

    Objetiva - 2011 - 36 págs.


Sobre a Agência Riff
imagem

Inaugurada em 1991, a Riff representa grandes nomes da literatura brasileira e as principais editoras e agências literárias estrangeiras no Brasil e em Portugal. Saiba mais.




2011 Agência Riff todos os direitos reservados - agenciariff@agenciariff.com.br Guilhotina Design