Genêro do Autor: Ensaio e Crítica

Leonardo Villa-Forte

2 de setembro de 2020

Sobre o autor

Nascido no Rio de Janeiro em 1985, Leonardo Villa-Forte é graduado em Psicologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mestre em Literatura, Cultura e Contemporaneidade e doutor em Letras pela PUC-RJ. Multifacetado, atua como escritor, artista, editor, tradutor, revisor, roteirista e professor e já colaborou com artigos para diversas revistas, como serrote, Pessoa, Palavra e Blog do IMS.

Seu mais recente livro, Escrever sem escrever: literatura e apropriação no século XXI (Relicário Edições/Editora PUC-Rio), de 2019, figurou com destaque em diversos jornais e revistas brasileiros e teve trechos traduzidos em publicações estrangeiras. A obra foi também listada entre os melhores lançamentos do ano de 2019 pela Quatro cinco um e pelo Suplemento Pernambuco, além de ter recebido Menção Honrosa do prêmio cubano Casa de Las Américas 2020, na categoria Literatura Brasileira de Na?o Ficc?a?o.

Antes, Villa-Forte já havia publicado pela Editora Oito e Meio o romance O princípio de ver histórias em todo lugar e livro de contos O explicador. O autor investiga também o campo da escrita expandida, a exemplo das montagens do Paginário, série de intervenções urbanas com passagens por Brasil, Portugal e Espanha entre 2013 e 2019, e do blog MixLit – O DJ da Literatura, que alavancou a discussão no país sobre o remix literário. Atualmente, desenvolve novos projetos: um ensaio e uma narrativa longa.

 


Citações

“As reflexões de Villa-Forte sobre a reconfiguração contemporânea da escrita são atuais, pertinentes e provocativas para tempos de ‘olhos e dedos nervosos’:  ideias que estimulam o pensamento próprio. E funcionam como ‘uma lente para mirar o século 21 a partir do que lhe é característico: seus excessos, constrições, permissões e potências’.”
O Estado de Minas sobre Escrever sem escrever: literatura e apropriação no século XXI (Relicário Edições/Editora PUC-Rio)

“Todas as nossas relações são inautênticas e por isso não é mais possível procurar a verdade do mundo por meio do realismo lírico. É essa a tese defendida por Zadie Smith em ensaio sobre os possíveis rumos do romance contemporâneo. Parece ser nessa linha que se insere o primeiro romance de Leonardo Villa-Forte.”
Folha de S. Paulo sobre O princípio de ver histórias em todo lugar (Oito e Meio)

“‘O Princípio de ver histórias em todo lugar’ bem podia ser o romance do ano (…) Assim, cuidem-se. Tudo aqui é movediço e instável. Eo leitor desse carioca de trinta anos, portador de pacatos olhos azuis (estava na hora de Chico Buarque passar essa tocha), tem de ser, antes de tudo, um forte.”
Alfredo Monte, crítico literário, sobre O princípio de ver histórias em todo lugar (Oito e Meio)

 


Leia mais

Entrevista de Leonardo Villa-Forte para o Estadão sobre Escrever sem escrever: literatura e apropriação no século XXI (Relicário Edições/Editora PUC-Rio)

Entrevista de Leonardo Villa-Forte para o Canal Curta sobre Escrever sem escrever: literatura e apropriação no século XXI (Relicário Edições/Editora PUC-Rio)

 

Filipe Vilicic

12 de abril de 2020

Sobre o autor

Jornalista e escritor, o paulistano Filipe Vilicic é autor de quatro livros de não ficção, sendo os dois últimos, de grande repercussão, voltados para a análise sobre o impacto das novas mídias na forma como a sociedade consome notícias. Com passagens por Playboy, Veja São Paulo e O Estado de S. Paulo, Vilicic foi editor, repórter e colunista da revista Veja, onde assinava também o blog A Origem dos Bytes. Bastante atuante nas redes sociais, mantém perfis no Twitter, no Facebook, no Instagram, no Linkedin e no YouTube, além do blog pessoal Balada do Fi.

Publicado pela Intrínseca em 2015, O clique de 1 bilhão de dólares reconstitui a história do Instagram, cocriado pelo brasileiro Michel “Mike” Krieger. A obra rendeu matérias em diversos veículos de imprensa e chegou a listas de mais vendidos em não ficção.

Em seu livro mais recente, O clube dos Youtubers (Editora Gutenberg), lançado na Bienal do Livro de 2019, o autor investiga com olhar crítico os bastidores da vida dos influenciadores digitais. Fruto de um trabalho de apuração de quase cinco anos, Vilicic revela como os youtubers tornaram-se imensamente populares e, hoje, são fundamentais para qualquer estratégia de comunicação. A obra foi tema de reportagens e entrevistas em diversos veículos de imprensa e abordada em variados canais do YouTube.

 


Citações

“’O clique de 1 bilhão de dólares’ é uma boa janela para os nomes e as grandes sagas que se desenrolam no Vale do Silício. Um campo de competição feroz, de gênios megalomaníacos, de transformações sociais e de cifras inacreditáveis, no qual o triunfo retumbante e o fracasso mais aterrador estão a um clique de distância.”
Revista Veja, sobre “O clique de 1 bilhão de dólares” (Gutenberg)

 “O autor descreve o competitivo universo das mentes mais inovadoras do mercado tecnológico.”
Revista Rolling Stone, sobre “O clique de 1 bilhão de dólares” (Gutenberg)

“Em suas 240 páginas de leitura ligeira, o livro mergulha no establishment casual criado pelo YouTube. Centenas de nomes mudaram de vida ou ao menos alavancaram a carreira graças à plataforma de vídeos.”
Revista Veja sobre “O clube dos Youtubers” (Intrínseca)

 


Leia mais

Matéria da Revista Veja sobre “O clube dos Youtubers” (Intrínseca)

Entrevista de Filipe Vilicic para o Metrópolis/TV Cultura sobre “O clube dos Youtubers” (Intrínseca)

Matéria do Portal IG/Gente sobre “O clube dos Youtubers” (Intrínseca)

Matéria da Revista Galileu sobre “O clique de 1 bilhão de dólares” (Gutenberg)

Coluna do autor na Veja

Blog pessoal