Jacques Fux

Sobre o autor

Jacques Fux é escritor, pesquisador, professor e tradutor, nascido em Belo Horizonte em 1977. Formado em Matemática, Mestre em Ciência da Computação, Doutor em Literatura Comparada pela UFMG e Docteur em Langue, Littérature et Civilisation Françaises pela Université de Lille 3, na França, foi pesquisador visitante no Departamento de Romance and Languages em Harvard, entre 2012 e 2014. É também Pós-doutor em Teoria Literária pela Unicamp e pela UFMG. Proferiu palestras e deu aulas nas principais universidades do mundo, entre elas Harvard, MIT, Boston University, Cornell, Universidade de Estocolmo e Sorbonne – Paris III.

A relação entre letras e números, que aparentemente pertencem a universos díspares, o inspirou para o doutorado sobre a matemática na literatura do argentino Jorge Luis Borges e do francês Georges Perec. A tese acabou sendo premiada com o Capes de Teses de 2011, e deu origem ao primeiro livro do autor, a crítica literária Literatura e matemática: Jorge Luis Borges, Georges Perec e o OuLiPo (Tradição Planalto), publicado em 2011. No ano seguinte, estreou na ficção com o bem recepcionado romance Antiterapias, editado pela Scriptum. Era apenas o início de uma promissora carreira como escritor.

 


 

Citações

“Um dos assuntos que mais divertem, e preocupam, os judeus e não judeus em todo o mundo é, sem sombra de dúvida, a loucura do louco — o meshugá que dá título a esse novo romance de Jacques Fux. A maluquice judaica essencial, além de envolver alguns temas clássicos (neurose, hipocondria, mães invasivas e super-protetoras, etc.), também fornece matéria para a ironia autodepreciativa que é a base do humor desse povo. Valendo-se da ficção com mão firme, Fux apresenta um rol de personagens tão geniais quanto desnorteados, histórias que se conformam como pequenas novelas e que são pérolas da insanidade e do ridículo.”
Cintia Moscovich, escritora, sobre Meshugá — Um romance sobre a loucura (Editora José Olympio)

“Jacques Fux fez pela brochada o que Woody Allen fez pela neurose: transformou em assunto que se pode confessar em terceira pessoa, fora do consultório do terapeuta. Literariamente, of course. Coragem, leia!”
Vivian Schlesinger, Juri do Prêmio Jabuti, sobre Meshugá — Um romance sobre a loucura (Editora José Olympio)

“Uma estreia literária a ser considerada pelos riscos que assume e pelo fôlego da proposta a ser desenvolvida, espera-se, em novas versões e ficções”.
Estadão sobre o romance Antiterapias (Scriptum)

 


 

Leia mais

Escritor mineiro entra na cabeça de loucos históricos, matéria de Arnaldo Bloch sobre Meshugá — Um romance sobre a loucura (Editora José Olympio)

O escritor mineiro Jacques Fux investiga a loucura judaica, matéria da revista Época


Share

Vídeos

  • O livro dos Porquês
    Infantil e Juvenil
    prelo, Aletria.
  • A Herança
    Romance
    prelo, Positivo.
  • O Enigma do Infinito
    Infantil e Juvenil
    64 págs, 2019, Positivo.
  • Georges Perec.
    Ensaio e Crítica
    140 págs, 2019, Relicário.
  • Nobel
    Romance
    128 págs, 2018, José Olympio.
  • Literatura e Matemática
    Psicologia e Comportamento
    256 págs, 2016, Perspectiva.
  • Meshugá
    Romance
    196 págs, 2016, José Olympio.
  • Brochadas
    Romance
    240 págs, 2015, Rocco.
  • Antiterapias
    Romance
    216 págs, 2012/2014, Scriptum.