Fabiane Secches

Sobre a autora

Fabiane Secches nasceu em Minas Gerais em 1980 e mora atualmente em São Paulo. É psicanalista e crítica literária. Colabora com o jornal Folha de S. Paulo, a revista Quatro cinco um e a revista Cult, entre outros veículos. É também colunista do jornal Rascunho e da revista Claudia, além de ter atuado como jurada de diversas premiações literárias, entre os quais o Prêmio Oceanos, Prêmio Biblioteca Nacional, Prêmio Sesc e Prêmio Jabuti.

Autora de uma série de textos de não ficção (ensaios, artigos, resenhas), principalmente sobre literatura, cinema e psicanálise, Fabiane é também tradutora e pesquisadora de literatura na Universidade de São Paulo, e uma referência nos estudos da obra de Elena Ferrante.

Seu primeiro livro, Elena Ferrante: Uma longa experiência de ausência, foi publicado em 2020 pela editora Claraboia. Fabiane analisa tanto a “A Febre Ferrante” quanto as minúcias em torno da obra e do mito, além de reunir depoimentos de escritores, editores, críticos literários, psicanalistas, professores e pesquisadores sobre o fenômeno literário mundial. O título foi eleito como um dos melhores livros do ano pela revista Quatro cinco um e também pela revista São Paulo Review.

Em 2022, Fabiane organizou pela editora Instante a antologia de ensaios literários Depois do fim: Conversas sobre literatura e antropoceno, obra que investiga o impacto destrutivo de determinadas ações humanas sobre a Terra. O volume reúne, entre outros, textos de Ana Rüsche, Christian Dunker, Daniel Munduruku, Itamar Vieira Junior, Giovana Madalosso, Paulo Scott, Maria Esther Maciel e Natalia Timerman.

 


Citações

“[Fabiane Secches] alcançou a excelência da crítica literária, honrando a estrada aberta por Antonio Candido, fazendo da crítica um exercício de pensamento profundo que ilumina, enriquece, constrói pontes, abre janelas, escancara portas. Fabiane estabelece relações entre os livros de Elena Ferrante e os clássicos. Ovídio, Homero, Virginia Woolf, Freud, Clarice Lispector são alguns dos autores que entram no diálogo. Por esse trabalho, a envergadura da obra de Elena Ferrante é detalhada, os motivos da qualidade do seu texto são expostos, esmiuçados. E isso tudo aumenta a febre, o vício, a admiração, a hipnose. É um guia indispensável para quem ama a italiana secreta.”
Socorro Acioli, escritora, sobre Elena Ferrante: Uma longa experiência de ausência (Claraboia) 

O livro de Fabiane Secches é um mergulho na obra de Elena Ferrante, que se tornou mundialmente reconhecida com a tetralogia napolitana: A amiga genial. A análise de Fabiane, à procura de explicações preciosas, projeta-se também nos outros romances da autora e nas várias entrevistas e artigos por ela fornecidos. Outra coisa importante dessa procura, no livro de Fabiane, são as descobertas valiosas que ela vai fazendo graças ao feliz contraponto entre literatura e psicanálise. Do “inquietante” de Freud ao embate entre Eros e Tânatos, os leitores terão ocasião — quem sabe — de desvendar alguns mistérios do lado obscuro de si.”
Aurora Fornoni Bernardini, professora de literatura da Universidade de São Paulo, tradutora e crítica literária, sobre Elena Ferrante: Uma longa experiência de ausência (Claraboia)

“Elena Ferrante: Uma longa experiência de ausência já é um marco para os estudos da literatura contemporânea — não somente italiana, mas ocidental —, pois se lança com profundidade e integridade pelos meandros periféricos do sucesso editorial, por muito tempo às margens dos estudos acadêmicos.”
Francesca Cricelli, poeta, tradutora e doutora em Letras pela Universidade de São Paulo, sobre Elena Ferrante: Uma longa experiência de ausência (Claraboia)

“Este livro de Fabiane Secches se recusa a cair nestas armadilhas disjuntivas do ‘ou… ou’ e, a meu ver, retorna ao cerne daquilo que vai sendo encenado dentro e fora das narrativas de Elena Ferrante, em especial as que compõem a tetralogia napolitana. Partindo do conceito psicanalítico de ambivalência e incorporando a ele o neologismo ferrantiano da ‘desmarginação’, o roteiro de leitura que a autora nos propõe parte de uma abordagem cerrada do texto, de seus mecanismos internos, para chegar a um mosaico de imagens, ideias, problemas e aporias com os quais nós, leitores de Ferrante, somos implacavelmente confrontados.”
Maurício Santana Dias, professor de literatura da Universidade de São Paulo, tradutor e crítico literário, sobre Elena Ferrante: Uma longa experiência de ausência (Claraboia)

“Se Elena Ferrante provocou estremecimentos ao chegar no Brasil, […] o primoroso trabalho de Fabiane Secches ressalta aspectos menos óbvios que as leituras devoradoras de primeira viagem não puderam ver. Sem descuidar da profundidade e paixão, como Ferrante nos pede.”
Ana Rüsche, escritora, crítica literária e pesquisadora de literatura da Universidade de São Paulo, sobre Elena Ferrante: Uma longa experiência de ausência (Claraboia)

“Ao longo da publicação, somos tomados por olhares atentos ao que nos cerca enquanto sociedade, seja lendo uma notícia no jornal ou durante um almoço de família. E é justamente aí que mora a beleza (e (e a riqueza) de conteúdo de ‘Depois do Fim’: somos tomados por mentes que pensam e repensam a linguagem para além de sua utilidade estética”.
Paula Jacob, editora-chefe da Revista Claudia, sobre Depois do fim: Conversas sobre literatura e antropoceno (Instante)

“Alguns pesos pesados da literatura e do pensamento cultural brasileiros estão reunidos no volume ‘Depois do fim’, organizado por Fabiane Secches, lançado pelaInstante. Sempre afinado com questões urgentes da contemporaneidade, o catálogo da editora de Silvio Testa ganha mais uma obra que nos ajuda a pensar o mundo atual. São treze ensaios que vão na jugular da ideologia neoliberal, trazendo a vida para o centro da discussão”.
Lizandra Magon de Almeida, editora, na revista Quatro Cinco um, sobre Depois do fim: Conversas sobre literatura e antropoceno (Instante)

“É inteligente como a organização dos textos cria um diálogo entre os ensaios, ainda que cada um apresente propostas muitas vezes originais para pensar o tempo do fim, o Antropoceno. (…) Depois do fim é uma antologia exigente. Não somente pela profundidade dos subtemas propostos, mas pelo incômodo tratado e exposto de forma inteligente e perturbadora. É também exigente porque não há possibilidade de terminar a leitura e sentir-se indiferente.”
Nara Vidal, escritora, na revista Quatro cinco um, sobre Depois do fim: Conversas sobre literatura e antropoceno (Instante)

 


Leia mais

Resenha da revista Quatro cinco um sobre Elena Ferrante: Uma longa experiência de ausência (Claraboia)

Entrevista de Fabiane Secches para o Aliás/Estadão sobre Elena Ferrante: Uma longa experiência de ausência (Claraboia)

Entrevista de Fabiane Secches para o TAB UOL sobre Elena Ferrante: Uma longa experiência de ausência (Claraboia)

Entrevista de Fabiane Secches para a revista Cult sobre Elena Ferrante: Uma longa experiência de ausência (Claraboia)

Lista dos Melhores Livros da revista Quatro cinco um que inclui Elena Ferrante: Uma longa experiência de ausência (Claraboia)

Texto de Fabiane Secches para a revista Marie Claire sobre Elena Ferrante: Uma longa experiência de ausência (Claraboia)

Entrevista de Fabiane Secches para a revista Glamour sobre Elena Ferrante: Uma longa experiência de ausência (Claraboia)

Entrevista de Fabiane Secches para a revista Claudia sobre Depois do fim: Conversas sobre literatura e antropoceno (Instante)

Resenha da revista Quatro cinco um sobre Depois do fim: Conversas sobre literatura e antropoceno (Instante)

Matéria da revista Marie Claire sobre Depois do fim: Conversas sobre literatura e antropoceno (Instante)

Entrevista de Fabiane Secches para o portal Universa/UOL sobre Depois do fim: Conversas sobre literatura e antropoceno (Instante)

 

 


Share

Vídeos

  • As pessoas que amamos
    Romance
    prelo, Cia das Letras.
  • Depois do fim (organização)
    Ensaio e Crítica
    165 págs, 2022, Instante.
  • Elena Ferrante: Uma longa experiência de ausência
    Ensaio e Crítica
    281 págs, 2020, Claraboia.