Vanessa Barbara

Sobre a autora

Considerada uma das mais talentosas escritoras de sua geração, Vanessa Barbara nasceu em São Paulo, em 1982. Aos 21 anos, escreveu seu primeiro livro, em que já exibia o domínio narrativo. Espécie de livro-reportagem sobre a Rodoviária do Tietê, O livro amarelo do terminal foi lançado em 2008, em bela edição da Cosac & Naify, e reeditado pela Editora Sesi em 2018. De lá pra cá, Vanessa escreveu romances, contos, um livro infantojuvenil e uma HQ.

Como jornalista, colaborou com a revista Piauí e foi colunista nos jornais Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo, veículo para o qual retornou em 2014. Escreve atualmente também para o International New York Times. Em 2013, o jornal americano  a convidou para assinar um artigo sobre as manifestações de junho. Pouco depois, Vanessa foi aprovada para ingressar no seleto time de colunistas internacionais e passou a contribuir mensalmente para o jornalão.

É também a idealizadora do periódico digital A Hortaliça (www.hortifruti.org), portal em que aborda os mais variados temas, e traduziu para o português obras como O Grande Gatsby, de F. Scott Fitzgerald, e Três vidas, de Gertrude Stein. Em 2012, participou com Noites de alface da seleção da revista Granta como uma das vinte promessas na literatura brasileira. No mesmo ano, Noites de alface seria publicado pela Alfaguara como o primeiro romance solo de Vanessa Barbara, sendo posteriormente traduzido para diversos países.

 


 

Citações

“’Noites de Alface’, de Vanessa Barbara, tem o melhor início, um parágrafo forte que termina com um definitivo ‘Desde então, a casa sem Ada é de gavetas vazias’”.
Adriano Schwartz, crítico literário e professor da USP, sobre o trecho de Noites de alface publicado em Granta – os melhores jovens escritores brasileiros

“Vanessa constrói com habilidade as contradições dos personagens para demonstrar a natureza volúvel do ser humano.”
Revista TPM, sobre Noites de alface (Alfaguara)

“Valendo-se de uma prosa agradável, recheada de um humor sutil que flerta eventualmente com o nonsense, a jornalista e cronista da Folha de S. Paulo cria um microcosmo coabitado por um homem que, abarcado pela perda, resolve assumir uma rotina vazia embrulhado numa manta xadrez, e uma vizinhança excêntrica que insiste em mostrar para ele o quanto são finas e transponíveis as paredes de seu refúgio.”
Revista Amalgama, sobre Noites de alface (Alfaguara)

 


 

Leia mais

Entrevista de Vanessa Bárbara sobre Operação Impensável (Intrínseca) para o Suplemento Pernambuco

Entrevista de Vanessa Bárbara sobre Noites de alface (Alfaguara) para a Folha de S. Paulo


Share

Vídeos

  • O livro amarelo do terminal
    História e Reportagem
    256 págs, 2008/2018, Sesi.
  • Operação Impensável
    Romance
    224 págs, 2015, Intrínseca.
  • O louco de palestra
    Contos e Crônicas
    198 págs, 2014, Companhia das Letras.
  • Noites de Alface
    Romance
    168 págs, 2013, Alfaguara.
  • A máquina de Goldberg
    Graphic Novel e Quadrinhos
    112 págs, 2012, Quadrinhos na Cia.
  • Endrigo, o escavador de umbigo
    Infantil e Juvenil
    55 págs, 2010, Editora 34.
  • O verão do Chibo
    Romance
    120 págs, 2008, Alfaguara.