9 de novembro de 2014

O Professor

O professor Heliseu acorda de um sono agitado. Aquele é o dia em que será homenageado por uma carreira exemplar na universidade. Precisa apenas preparar um discurso para a cerimônia — uma tarefa fácil para quem tantas vezes falou a auditórios lotados, capaz como poucos de transformar assuntos espinhosos em aulas brilhantes.
Sozinho em seu apartamento — em poucos minutos Dona Diva deve chegar para preparar o café da manhã —, Heliseu é tomado por uma sucessão  incontrolável de memórias e revisita momentos nem sempre felizes: a convivência com o pai rígido; a morte da mãe, em circunstâncias pouco claras; o tempo no seminário; o casamento com Mônica; o relacionamento conturbado com o filho; a paixão pela misteriosa Therèze. As lembranças se cruzam com a história do Brasil, do regime militar aos governos mais recentes e o acerto de contas de Heliseu com seu passado transforma-se no acerto de contas de uma país com sua história.
Neste que é o mais proustiano de seus livros, Cristovão Tezza constrói um intrincado embate de um homem com as culpas e os arrependimentos de uma vida inteira, concentrado em poucas horas de um dia comum.

Share

Outras Notícias

Nossos autores na imprensa

Confira as últimas notícias literárias sobre nossos escritores Luis Fernando Verissimo: […]

leia mais
Uma vibração de claridade impiedosa

Por Moacyr Godoy Moreira* (Resenha de Em Plena Luz, de Tércia […]

leia mais
Nossos autores na imprensa

Confira as últimas notícias literárias sobre nossos escritores Noemi Jaffe: Em […]

leia mais