23 de novembro de 2015

Três Mulheres de Três PPPês

Paulo Emilio, conhecido principalmente pela crítica de cinema, foi antes de tudo um pensador. Nessas três novelas, publicadas quando tinha 60 anos, ele libera sua livre e extraordinária imaginação, na expressão de Antonio Candido, ao escrever histórias que se nutrem de elementos retirados do cotidiano próximo. Assim, Três mulheres de três PPPês procura passar a impressão de divertimento, mas, por trás dos jogos, das inversões, das reviravoltas do entrecho, oculta-se um profundo mal-estar com a convivência inevitável da burguesia paulista, da qual o autor tinha indisfarçável horror. Suas três mulheres são anti-heroínas superiormente dotadas, que submetem os parvos PPPês aos seus caprichos e os subjugam, por força de sua progressiva – e assumida – traição. Uma fortuna crítica representa as primeiras reações à obra surpreendente de Paulo Emilio e reúne nome como Zulmira Ribeiro Tavares, Roberto Schwarz, Modesto Carone e Celso Luft.


Share

Outras Notícias

Nossos autores na imprensa

Confira as últimas notícias literárias sobre nossos escritores Luis Fernando Verissimo: […]

leia mais
Uma vibração de claridade impiedosa

Por Moacyr Godoy Moreira* (Resenha de Em Plena Luz, de Tércia […]

leia mais
Nossos autores na imprensa

Confira as últimas notícias literárias sobre nossos escritores Noemi Jaffe: Em […]

leia mais